quinta-feira, 7 de agosto de 2008

People are strange

Já nem sei como me hei-de ver ao espelho,
que coisa horrivél é esta?
Preciso de auto estima , e das grandes, mas,
como não se vende ao kilo ......
Começo por acreditar um pouquinho em mim todos os dias ,
e de repente, foge-me tudo por entre os dedos.
Como posso eu acreditar em mim, se mais ninguém o faz?
Sinceramente, começo por perder todas as esperanças em mim,
Já não deve haver nada a fazer!
Sinto um aperto cá dentro no peito,
uma respiração pesada e murcha
mudanças de humor intoleráveis......
Enfim,
sou eu e apenas eu,
somente eu
neste meu mundo
criado por mim para mim.
Dói-me a alma
e tento apaziguar a dor
através da criação,
de que me vale........
se ninguém quer saber....
Só queria que gostassem de mim
um pouquinho que fosse ,
e que mo demonstrassem.
As aparências iludem não é?
pois é ,
pareço divertida,
alegre, maluca e animada
mas quando se tira a máscara
...
just say
" People are strange
When you´re a stranger
faces look uglly
when you´re alone ..."


4 comentários:

Táxi Pluvioso disse...

People are estranha mas we are not men we are Devo...

o que me vier à real gana disse...

Muito bom! Existe complementaridade entre estranho e familiar. Se tivermos curiosidade, avançamos! De outra forma, sem "estranho" darwin não seria hoje célebe.

Maria Zua disse...

Boa Noite, sou fã do real gana,por curiosidade entrei neste blog e depois de ler, atrevo-me a comentar. Gostei, soa-me a algo familiar,os sintomas são os mesmos porque passei,depressão, remédio rir e fazer rir,é a máscara da vida, transmitir o que nos diz o coração e esconder o subconsciente.

stériuéré disse...

Pois é maria zua, soa a familiar ,não? E tu gana se não avançarmos nós próprios nunca chegaremos a lado nenhum.