segunda-feira, 27 de outubro de 2008

A minha gota de água

Quem me dera conseguir descrever tudo aquilo que sinto,
tudo aquilo que me rodeia e me fascina.



Sabe tão bem saborear o aroma do mar,
das folhas a bater no vento,
a luz do sol a bater-me na janela dos fundos.....

Sei o que sinto, só não o consigo explicar.
Altos e baixos, confundem-me a memória,
que por enquanto pouco falha, mas não há-de tardar.


As imagens gravadas no meu baú de recordações
os sons que desperto a cada dia que passa
os sentidos que se vão apurando pela magia da imaginação


As cascatas da vida que percorrem milhares de kilómetros para encontrar o seu destino
e eu........
apenas recordo o vazio que ficou pela tua espera infinita.

Que grande sensação esta,
que me eleva a alma,
que me deixa encantado pela simples melodia de uma gota de água a cair!


Imagino -me como me sentiria se
fosse uma pequena gota de água:

sentia-me transparente, pura, capaz de transportar inúmeras razões para conseguir chegar ao meu destino.
Sentia-me descalcionada da vida,
elevada para outro ser,
tornaria-me em alimento para as mais belas plantas do mundo,
e até para simples ervas daninhas,
vapor , nuvem e sim, talvez chuva outravez!
Em que me despenhasse pelo rio abaixo, onde iria encontrar de novo,
a minha queda de água,
a minha cascata favorita,
onde eu iria recomeçar todo o meu percursso.


E agora como me sinto?
Insignificante ao pé de uma pura e simples gota de água
caída de uma cascata ao pé de um penhasco!

7 comentários:

Peter disse...

"Quem me dera conseguir descrever tudo aquilo que sinto,
tudo aquilo que me rodeia e me fascina."

Também gostava, mas tu acabaste por conseguir.

Ana Martins disse...

Descrever tudo o que sentimos e nos vai na alma, por vezes é dificilimo, porque nem sempre encontramos nas palavras a verdadeira essência do nosso sentir.

Beijinhos e uma boa semana para ti.

GUILHERME PIÃO disse...

Muitas vezes nos sentimos assim :
"Insignificante ao pé de uma pura e simples gota de água
caída de uma cascata ao pé de um penhasco!"
Nesta hora de reflexão chegamos a conclusão de que não somos nada...perante este universo de coisas...
Temos que agradecer e muito o que somos...
Abraços

Mariazita disse...

Querida Sté
Gostei muito deste "desenrolar" de ideias, que te conduzem a uma simples gota de água.
O texto tem ritmo, tem cadência, está muito bem construído.
Mas...descrever o que se sente...é meio complicado, com esse estado de alma. As palavras não conseguem expressar o que nós mesmos não sabemos bem explicar...
Não te preocupes. Tu não consegues, mas também ninguém consegue -:)
Beijinhos, querida.
Mariazita

o que me vier à real gana disse...

Afinal consegues comunicar as tuas emoções..., o k sentes!

Táxi Pluvioso disse...

Engraçado é a entrega do IVA, feito obrigatoriamente na altura da facturação e não do recibo (quando o cliente paga).

As empresas são obrigadas a entregar o IVA quer recebam dos clientes ou não (os chamados calotes). E há multas pesadas para os infractores.

Uma empresa que forneça o Estado tem que avançar a massa do IVA quando se sabe que o Estado nunca paga a horas. E há Câmaras que têm os pagamentos atrasados 5 anos. Mas o IVA tem que estar nos cofres das Finanças.

Mãe babada disse...

Filha linda, este post, li com o pai aqui ao pé..." as folhas a baterem no vento, ou o vento a bater nas folhas"?( perguntou ele)
Bem...ja,sabes o debate que isto deu ;)
No fim ele disse assim..."Nao ha um que saia ao pai?"
LoL
( Fartei-me de rir )

Beijinhos e nao deixes de escrever!!!

P.S: Lembra-me de te falar deste post, ok?

Amo-te tanto!!!