domingo, 28 de setembro de 2008

O Minotauro

O valente Minotauro

Andamos nós descançados
rua acima
rua abaixo

Elevando pensamentos
ao mais alto nível de inteligência
descobrimos segredos
que nem por sombras
poderão ser encontrados

Sorrisos hipócritas
repletos de fingimento
é onde a falsidade ganha vantagem

Olhares indiscretos
sublimes e encantados relevos
e lá passa
o grandioso e admirado
o Minotauro

E lá anda ele
de cabeça erguida
difamado e todo elegante

Um enorme confronto
entre a dura realidade
e a mais pobre das situaçôes

E que basta
um simples olhar
pérfido
e num segundo se reduz a nada
apenas num simples
envergonhado
afoitado

Tudo á volta
lhe parece em vão
fútil e desagradável

Toda a valentia
é-lhe arrancada
torna-se num simples transeunte

Começa a mendigar
apenas com a lua no bolso
e que apenas guarda na alvorada

É o que faz
usar aquilo que é dos outros
e não o que é nosso!

6 comentários:

Táxi Pluvioso disse...

Ukulele para animar as tropas.

Mariazita disse...

Pois é, minha querida nick complicadinho...
É o que acontece ao lobo quando veste a pele do cordeiro: descoberto, mete o rabinho entre as pernas, e ala que se faz tarde!
E também a quem se dá ares em cima do cavalo: quando cai...às vezes parte-se todo!
Aguenta-te em cima do cavalo! Tens pernas para isso!
Beijinhos
Mariazita

Mariazita disse...

Zangaste-te com a CASA DA MARIQUINHAS???
Quero ver a menina lá, ouviu???
Ai, ai, ai...
bjinhos
Mariazita

o que me vier à real gana disse...

Cada um é pr'ó k nasce...ou não... Tb se pode fazer, com engenho, esforço (muito) e arte (alguma)!

o que me vier à real gana disse...

Cachopita, post novo no real gana! Tá?

Darwin disse...

Penso que a Steriuéré nos fala do mitológico Minotauro, que representa o conflito entre o lado humano e o bestial, existente em todos nós.
Dá sempre gosto vir a este blog. O problema é que me perco em memórias, numa mitologia apagada pelas marés do tempo.